3º momento: Abstração das cores para maior ênfase da matéria. Do concreto armado às veladuras  coloridas.

 

Maioba, a série de quadros da artista que se conecta com sua infância, é a porta de entrada para buscar a profundidade da matéria.  Yolanda concentra a sua atenção, nesse terceiro momento, na densidade da tinta, dos movimentos e das texturas.  Ela quer ser instrumento para que essa matéria fale. Realiza as exposições "Vermelhos", "Em Branco", "Linha Vazia",  "O Banquete", "Tempo e matéria".  Em um movimento claro e constante, busca a pulsação dessa matéria através  das texturas e das formas que ganham relevos. em um determinado momento este relvo alcançado na pintura a leva à utilização do cimento, do concreto armado. passa a realizar esculturas de parede e objetos diversos que recebem incrustações de materiais diversos.  

 

Suas principais obras e exposições desse período:

1986 - “Maioba - Pinturas-Objeto” (Galeria de Arte do IBEU, Rio)

1987 - “Em  Branco”- Pinturas - (Klee Galeria de Arte, Rio)

1987 - Projeto de Instalação : "Linha vazia"  (Pampulha Belo Horizonte)

1988  - “Maioba”- Pinturas-Objeto (Galleria 9 Colonne Spe - Brescia, Itália)

1989  - “Yolanda Freyre, Pinturas” – (Galeria Ars Artis, S. Paulo)

1989 - “Maioba”- Pinturas-Objeto (Galleria 9 Colonne Spe - Trento e Gênova|  Itália).

1989 - "Pinturas à óleo" (Galeria Ars Artis – São Paulo)

1991 -  “Vermelhos” - Pinturas e Objetos em Concreto Armado (MNBA –  Museu Nacional de Belas Artes do  Rio de Janeiro)        

1994 - “In  Memoriam  Per  Vitae”- Pinturas a Óleo  (The Pump House Gallery , Londres | Inglaterra)

1996 - “O  Banquete”- Objetos em Concreto Armado e Instalação  (MNBA –  Museu Nacional de Belas Artes do  Rio de Janeiro)

1997 -  “O  Banquete”- Objetos  em concreto armado e Instalação  (Espaço Cultural  Centro de Ciências Humanas -  UNI-Rio – Universidade do Rio de Janeiro).

1997-  "Tempo e matéria" (Espaço Cultural dos Correios, Rio de Janeiro)

© 2019 Yolanda Freyre | Todos os direitos reservados. 

All rights reserved