4º momento:  Volta aos tecidos usados nas performances e toma-os como suporte e como a própria obra.  

 

Realiza aplicações diversas com fitas, penas, fios de cobre.  Resgata memórias populares, memórias tribais, ancestralidade e descendência.

Retoma a pintura 'a Óleo com o tema do Universo. Realiza a exposição " Língua de Fogo" apresentando objetos em concreto e pinturas a óleo. Busca, dessa maneira transmitir a sua inquietação diante das forças da natureza: criação e violência.

"Onde o sentido do sagrado confunde-se com o questionamento em relação ao princípio, ao primevo, à gênese, quando a sexualidade transcende a sensualidade corpórea, atinge o Eros Cósmico, a força de geração da Vida"  (YF). 

Suas principais obras e exposições desse período:

1998 - "O lençol" (Exposição Memória - Coletiva no SESC de Copacabana)

1999 - "Estandartes  e bandeiras" (Exposição “Terra à Vista” – 500 anos |Galeria Debret, Paris)

2002 - “Língua de Fogo” – Pinturas e Objetos em Concreto Armado (MAST – RJ)

Museu de Astronomia e Ciências Afins, RJ e MNBA – Museu Nacional de Belas Artes, RJ

2004 – “Vassouras” (CEDIM - Conselho Estadual dos Direitos da Mulher; na Galeria de Arte do SESC de Nova Iguaçu e na Galeria de Arte da Universidade Federal Fluminense)

2005 - “Rede / Corpo / Conexão / Brasil” Instalação (Galeria Cândido Portinari – UERJ,  RJ)

© 2019 Yolanda Freyre | Todos os direitos reservados. 

All rights reserved